Dicas de como declarar seus investimentos no Imposto de Renda

impostoderenda2022

O Imposto de Renda 2022 teve o prazo de envio prorrogado para 31 de maio e, com isso, os contribuintes que ainda não enviaram a sua declaração para o Leão ganharam um tempinho extra para se programar e evitar problemas futuros com o fisco. 

Quando chega o momento de declarar o Imposto de Renda, também é comum surgir várias dúvidas, sendo que uma das mais recorrentes é em relação aos investimentos. Muitos contribuintes não sabem como declarar e onde incluir cada tipo de investimento na DIRPF.

Se você também tem essas e outras dúvidas e não quer deixar o seu Imposto de Renda para a última hora, confira na sequência desse artigo algumas dicas simples e rápidas que vão te ajudar nesse processo.

Entenda a importância de declarar os investimentos no Imposto de Renda

Bom, antes de mostrarmos como declarar os seus investimentos no Imposto de Renda é preciso primeiro entender a importância desse processo para os contribuintes. As movimentações realizadas em 2021 devem fazer parte da sua declaração para que nenhuma inconsistência possa gerar problemas com a Receita Federal. Certifique-se de que todos os investimentos sejam contemplados na sua DIRPF.  

Normalmente, há duas fichas no Imposto de Renda destinadas aos investimentos. Uma delas se refere a posse do bem – a sua posição em cada investimento no início e no fim de 2021 – que deve constar na ficha de “Bens e Direitos”, com exceção dos planos de previdência privada que podem ser deduzidos das contribuições da base de cálculo do IR (PGBL, Fapi e fundos de pensão).

Os rendimentos recebidos no ano anterior deverão constar na ficha de rendimentos correspondente ao seu tratamento tributário, diferenciando os isentos ou tributados na fonte dos que entram na aba da “Renda Variável” – que se referem aos investimentos com lucros não isentos obtidos em transações com ativos de renda variável.

A novidade em 2022 é que ao informar um investimento na ficha de “Bens e Direitos”, aparecerá um botão que levará o item diretamente para a ficha de rendimentos mais adequada, assim o contribuinte consegue preencher as duas fichas de forma simultânea, tornando o processo mais rápido e eficaz contra erros e esquecimentos. Esse recurso só não está disponível para investimentos que são informados como “outros” na ficha de “Bens e Direitos”. 

Passo a passo de como declarar os principais investimentos no Imposto de Renda

Renda fixa

Para declarar no Imposto de Renda os investimentos de renda fixa é preciso entender a diferenciação entre eles: os tributáveis e os não tributáveis. As duas categorias precisam ser declaradas contemplando as suas especificidades, como veremos abaixo:

  • Investimento não tributáveis: inclui caderneta de poupança, indenizações de seguros, Letras de Crédito Imobiliário (LCIs), Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs), Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) e os Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs).
  • Investimentos tributáveis: inclui títulos do Tesouro Direto, CDBs, Debêntures e LCs. 

Importante ressaltar que o contribuinte é obrigado a declarar investimentos de renda fixa que tinham um saldo superior a R$ 140 em 31 de dezembro de 2021. Nesse caso, é preciso ir na seção “Bens e Direitos” e utilizar o código 45, que é destinado à declaração de títulos de renda fixa em geral. Em seguida, é necessário declarar os lucros obtidos.

Renda variável

Mesmo que suas operações com renda variável na Bolsa de Valores não tenham obtido bons resultados em 2021, é preciso declarar todas as movimentações no Imposto de Renda

Entretanto, isso não significa, necessariamente, que todo o valor será tributado. É importante reforçar que o Imposto de Renda só incide sobre suas ações caso você tenha vendido mais de R$20 mil em papéis por mês na modalidade swing trade. Do contrário, o contribuinte ficará isento do tributo. 

Abaixo, veja como declarar suas ações no Imposto de Renda:

  • “Bens e Direitos”: utilize para informar quais são os papéis que você tinha até o dia 31 de dezembro de 2021.  Selecione o código 31 e repita o procedimento para cada uma das ações que você possui.
  • “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”: escolha para declarar os rendimentos abaixo de R $20 mil/mês. Clique na opção “Lucros e dividendos recebidos pelo titular e pelos dependentes”.
  • “Renda variável”: os ganhos tributáveis devem ser inseridos nesta seção, no campo “Operações Comuns/ Day Trade”.

Os dividendos são isentos de Imposto de Renda, mas eles também devem ser informados na DIRPF, bem como os juros sobre capital próprio. Eles podem ser inseridos na seção “Rendimentos Tributáveis”, utilizando o código 10 referente a “Juros sobre capital próprio”.

No artigo de hoje, reunimos algumas dicas de como declarar os principais investimentos no Imposto de Renda 2022. Se você não quer perder as principais novidades do mercado financeiro, acompanhe as próximas postagens do nosso blog!

Compartilhe:

veja também: